REPUBLIQUETA DE BANANAS
17/8/2015
REPUBLIQUETA DE BANANAS
O Brasil não é essa “Republiqueta de Bananas” que muitos consideram e alguns o querem transformar.
Contra todas as expectativas pessimistas, temos produzido, ao longo dos anos, talentos e inteligências que nos fizeram sentir muito orgulho.

Eis alguns exemplos:

Maria Esther Bueno, tri campeã em Wimbledon.
Adhemar Ferreira da Silva e seu salto triplo.
Joaquim Cruz, no Atletismo
Os bi e tri campeões mundiais no automobilismo
Emerson Fittipaldi, Nelson Piquet e Ayrton Senna.
A tri campeã Daiane dos Santos
e os irmãos Hypólito, na Ginástica.
João do Pulo e seu recorde de 10 anos.
O Guga, no Tenis.
Éder Jofre, no Boxe.
Robert Scheidt e os irmãos Grael, no Iatismo.
A equipe penta campeã de Futebol.
As equipes masculina e feminina de Volei e Basquete.
O super time de Futsal.
O campeão de Judô Aurélio Miguel.
Anderson Silva, sjuper sampeào do UFC.
Cesar Cielo, na Natação.
e Pelé, o maior de todos.

E muitos, muitos mais.

Isto, só no esporte.

Tem mais:

A Amazônia,
O Carnaval,
a Música,
a Natureza exuberante,
A maior reserva de água potável do planeta,
um clima ameno

e um povo pacífico.

Querem mais?

Vamos lá!

Santos Dumont.
O cientista Cesar Lattes.
O cirurgião Ivo Pitangui.
O arquiteto Oscar Niemeyer.
O escritor Paulo Coelho.
O pintor Cândido Portinari.
Os compositores Villa Lobos, Carlos Gomes e Antonio Carlos Jobim.
Os músicos Hermeto Pascoal e Nelson Freire.
Carmen Miranda, brasileira por adoção.

E tantos, tantos outros...

E, até provas em contrário, o Sérgio Moro.

Cada um, a seu modo, plantou a bandeira do Brasil no topo do mundo.

Entretanto, há uma área, uma zona nebulosa, onde não germinou nenhum talento de peso:

A Política.

Do "polêmico" Getúlio Vargas ao "trepidante" Juscelino Kubitschek,não surgiu ninguém com a estatura de um Churchill, um Roosevelt ou, até mesmo, um De Gaulle.

FHC chegou perto.

Mas é preciso avançar.

Seria sonhar demais?

acho que não.


Vamos sonhar?


INDEPENDENTES