O POVO BRASILEIRO
18/3/2021

Muito se tem escrito sobre o povo brasileiro.

Sérgio Buarque de Holanda, João Ubaldo Ribeiro e Roberto da Matta,
são alguns dos expoentes nessa matéria.

Outro dia vi na televisão um representante do alto escalão do governo
dizer a seguinte pérola:

“O brasileiro não gosta de seguir regras.
É libertário, gosta de fazer festas”.

Aliás, essa mesma figura já havia dito lá atrás: “O brasileiro herdou a indolência
do indio e a malandragem do africano”.

Incrivel, não?

Pergunto:

E a solidariedade dos brasileiros nas tragédias?...

E os brasileiros que têm orgulhado o Brasil, mundo afora,
com atuações premiadas no campo intelectual e esportivo?…

E a maturidade política demonstrada nas últimas eleições municipais?...

Lembram-se de 2013?...

Pois é!...

Não, meu amigo, o brasileiro pode ser ingênuo, puro e inocente,
mas não é indolente nem malandro.

É trabalhador.

Acorda de madrugada e, em plena pandemia, enfrenta conduções lotadas
e aglomerações inevitáveis, para ir trabalhar e trazer o pão pra dentro de casa.

Nossa índole é a alegria.

A solidariedade.

E a esperança.

Mesmo diante de condições tão adversas quanto as que estamos vivendo,
ainda acreditamos.

Somos alegres.
Gostamos de festejar.

Quem não gosta?

Só que, agora, está muito difícil.
Quase impossível.

Só correndo risco de vida.

Não somos suicidas, mas diante da situação atual, preferimos arriscar.

Se não o fizermos, enlouqueceremos.

...E onde está a ajuda?...

Em vez de ajudar, ainda nos criticam.

É o fim da picada.

Faço côro com o João Ubaldo Ribeiro:


Viva o povo brasileiro!!!!


Eu tenho orgulho de mim.


E você?
INDEPENDENTES